• Sexta-Feira, 1 de Julho de 2022

 

Nossa História

O Núcleo da APLB-SINDICATO tem uma linda História para contar aos munícipes de Mata de São João e a toda a sua base, que são os trabalhadores em educação que nos honram com o seu trabalho.

Fundado em 13 de maio de 2010, por iniciativa dos agentes sindicais Prof. Manoel Jorge, Prof. Robson Claudionor e Prof. Michell Carvalho.  Foi fundado em um contexto quando no município os nossos professores se encontravam totalmente desamparados, sem terem com quem contar para conquistar melhorias para a carreira e defender seus direitos. 

Apesar de ter apenas 06 anos de fundação, foram muitas as conquistas que têm se somado até os dias de hoje. Vejamos algumas delas:

2010 – Tivemos pela primeira vez, participação na confecção do calendário escolar. Fato novo nesse contexto, pois o calendário era feito sem nenhuma consulta aos professores;

2011 – Ano de reformulação do Plano de Carreira. O Plano de Carreira do Município, criado em 2003, era cheio defeitos. O Núcleo da APLB-sindicato convocou a sua base e por meio de uma histórica paralisação acontecida no dia 11 de maio desse mesmo ano, pressionou o Executivo Municipal para que negociasse as seguintes pautas:  - reformulação do Plano de Carreira; - Cumprimento do piso nacional – lei 11.738/2008; - Avanço Horizontal; - Vale transporte; - Estabilidade das 40 horas;- Vale refeição; - A/C 1/3;

Diante dessas reivindicações, conseguimos reformular o nosso Plano de Carreira garantindo ganhos históricos como:

  1. Valorização dos títulos de Pós-graduação Lato Sensu de 5% para 15%, Stricto Sensu, de 10% para 25%, doutorado de 15% para 35%, além da mudança de nível em 10%;
  2. Critérios para Remoção dos professores que precisam mudar de unidades escolares;
  3. Reajuste do Piso Nacional;
  4. Definição do Papel dos coordenadores;
  5. Gratificação por estímulo ao Aperfeiçoamento e 1% anual;
  6. Avanço na carreira;

2013 – Garantia do Reajuste integral; residência para os professores que moram fora da Sede do município.

2014 – Conseguimos garantir a redução da carga-horária dos professores de 16 horas em sala para 14 horas, garantindo o cumprimento da Lei de 1/3 para o A/C; garantimos que o município fizesse o concurso público para a admissão de novos professores.

2016 – Apesar de todas as dificuldades causadas pela crise nacional, conseguimos, de forma guerreira, por meio de um enfrentamento na mesa de negociação, garantir um reajuste de 10.67% (escalonado 3% em Junho e 7.67% em novembro); lei do difícil acesso que será aprovada pela câmara em novembro; estamos na eminência de garantir plano de saúde e odontológico para os trabalhadores em educação e para todos os servidores públicos; vamos inaugurar a nossa Sede, agora em novembro.

Isso tudo mostra a nossa garra e capacidade de negociação. Em alguns desses anos renunciamos participar de algumas paralisações nacionais para negociar com o gestor público ganhos históricos para a categoria. Somos sim a favor das paralisações nacionais, tanto que participamos em 2011, 2015 e em março de 2016. A nossa visão é transformar esses momentos em oportunidades de ganhos para a categoria.